Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Glamour da Palavra

Um blog que tem de tudo um pouco. «EU POSSO RESISTIR A TUDO EXCETO À TENTAÇÃO»

Um blog que tem de tudo um pouco. «EU POSSO RESISTIR A TUDO EXCETO À TENTAÇÃO»

Sábado, o Grande

18451394_10155326862771983_1797868941712289793_o.jpg

O 13 de maio de 2017 foi marcado por três Grandes acontecimentos. Três Conquistas. Três Reconhecimentos. Quando menos se espera o inesperado acaba sempre por acontecer.


Francisco, o Papa de todos os tempos, esteve em Portugal. A nação saiu à rua para o acarinhar. Para o ver. Para o saudar. Foi pela manhã de sábado que começaram os grandes acontecimentos. Francisco Marto e Jacinta Marto foram canonizados. São agora Santos.


Com o findar da tarde e com o rebentar da noite acaba por acontecer algo mais para marcar o Sábado, o Grande. O Benfica é campeão. É Tetra. A loucura permanece na rua. O sentimento é de vitória. De Glória. O Marquês está repleto de uma imensidão encarnada. As vitórias, as conquistas não ficam por aqui.


Quase na transição de 13 para 14 de maio, mais uma vitória. A Europa rende-se a Portugal. A canção ultrapassa barreiras e fronteiras. Portugal vence a Eurovisão. Salvador Sobral conquista os europeus. Conquista o Mundo. O respeito faz-se sentir. O Marquês dá voz a Sobral. As vitórias celebram-se juntas. O respeito pela nação é quem mais ordena.


Um dia em pleno. Sábado de conquistas, vitórias e sobretudo de reconhecimento. Somos Grandes. Acreditar é o lema. Não há palavras para descrever este sábado. Sábado, o Grande!


Fábio Belo

benfica-tetra-campeao-250x150.jpg

 

Papa_Francisco_Portugal.jpg

 

Salvador_Sobral_Red_Carpet_Kyiv_2017.jpg

 

 

Cristina Ferreira: Uma profissional de excelência

18359528_1482118638513410_6682044901428984304_o.jpg

 “É um privilégio poder trabalhar num dia que fica para a história” – Cristina Ferreira (CF)

Cristina Ferreira, apresentadora da TVI, esteve hoje, 12 de maio, em direto de Fátima na condução da emissão – Fátima “100 Anos”. Ao lado de Manuel Luís Goucha, Fátima Lopes e de alguns jornalistas a apresentadora acompanhou de perto os preparativos e chagada do Papa Francisco a Fátima.

No decorrer da manhã e da tarde a Cristina andou de mota a fazer vários diretos. A Estrela da TVI chegou mesmo a ir entrevistar peregrinos que estão alojadas em barracas para assistirem de perto à chegada de Francisco.


Num dos diretos, a Cristina, referiu que tinha falado com vários elementos da segurança para poder acompanhar a chegada do Papa ao Santuário de mota. Foi-lhe negado devido aos protocolos de segurança. O melhor estava para vir.

“Tão bom partilhar este momento com gente assim” - CF

Após a chegada do Papa Francisco a Fátima, a Cristina, como profissional de excelência, surpreendeu os telespetadores da TVI. Acompanhou a comitiva em direto a correr. Não é qualquer UM que consegue fazer algo tão surpreendente, como a Cristina fez. Sem medos, movida pela Fé lá foi a Loira das Sete em corrida a acompanhar o Papa até uma certa parte do percurso.

É avassalador. Vi-O chegar, vi-lhe o sorriso, o acenar delicado. Corri muito. Fui tão feliz hoje. Junto de todos. Obrigada". – CF

São esses pequenos momentos que fazem da Cristina a melhor apresentadora portuguesa. A Senhora Comunicação, não fosse ela a mulher do Senhor Comunicação.


Fábio Belo

18342119_1482179431840664_2495158646154227969_n.jpg

 

18402749_1482255171833090_4661023054016897509_n.jpg

 

18424179_1482340918491182_4052505232266127305_n.jpg

 As fotografias foram retiradas do Facebook da apresentadora da TVI - Cristina Ferreira

Carnaval Alpalhoeiro

Fotografias do Carnaval Alpalhoeiro, 2017

DSC_0189.JPG

 

DSC_0194.JPG

 

DSC_0202.JPG

 

DSC_0217.JPG

 

DSC_0227.JPG

DSC_0255.JPG

DSC_0266.JPG

 

DSC_0244.JPG

 

DSC_0294.JPG

 

DSC_0299.JPG

 

DSC_0320.JPG

 

DSC_0326.JPG

 

DSC_0336.JPG

 

DSC_0353.JPG

 

DSC_0356.JPG

 

DSC_0359.JPG

 

DSC_0407.JPG

DSC_0424.JPG

DSC_0427.JPG

 Imagens: Fábio Belo

Se pretender alguma fotografia contate por e-mail: glamourdapalavra@outlook.pt

Estão reservados os direitos de autor.

Amor de Hoje

amor de hoje.png

Se amas de verdade aproveita o momento. Esquece o passado. O presente é mirabolante. O futuro é incógnito.


A maior prova de amor que alguém pode ter, é quando o amor nos é retribuído. Não interessa se é um amor de hoje. A aventura é constante e precisa.


As dúvidas do amor são traidoras. A traição não interessa. O que realmente importa é a união do presente. O que resta do passado é apenas um ato cobarde, que deu origem ao amor de hoje.


A traição não é uma falta de respeito pelo amor do outro, mas sim uma falta de dignidade. Se a vida faz  sentido assim, segue o amor. As sementes deitadas à terra no passado já deram frutos, mas é possível conduzi-los para o novo amor.


Há que aproveitar o momento. Temos de viver a ocasião mesmo que possa vir a magoar alguém. O que realmente importa é o Amor de Hoje, e amanhã logo se vê.


Fábio Belo

 

 

A maior das lutas também é possível vencer

cancro-1.jpg

 

O cancro é a doença do século XXI. Quando nos é comunicado que temos cancro associamos logo que vamos morrer. No entanto a batalha contra esta doença é possível vencer. Adriana Paola Ferrari, Sara Ferreira e Sónia Batista tiveram cancro e conseguiram vencer a maior das batalhas.

(...)

Adriana foi submetida a um cirurgia mastectomia radical da mama esquerda com colocação de prótese mamária. “A única coisa que eu queria naquele momento era a operação o mais rápido possível, pois tratava-se de um cancro localizado e queria cortar o mal pela raiz”. Enquanto médica, no que diz respeito aos tratamentos, não estava muito receosa, pois já sabia o que a esperava, um processo de quimioterapia e de radioterapia.


Enquanto doente oncológica, Adriana não esperou a queda do cabelo, uma vez que previa que lhe ia começar cair no “décimo quinto dia de quimioterapia”, então decidiu rapar o cabelo. Adriana venceu a luta contra o cancro, mas sabe que tem de andar controlada enquanto “tiver vida”.

(...)

Os doentes multiplicam-se, mas a casos de sucesso: Sara Ferreira, natural de Torres Novas, aos quatro anos de idade foi-lhe diagnosticado um cancro maligno: “Tinha muitas dores na cara, do lado esquerdo, e toda a gente pensava que era um abcesso. Fui para o hospital da Estefânia para me drenarem o suposto abcesso e aí é que descobriram que era linfoma de Burkitt, já em estadia quatro. Era maligno claro, porque se for benigno, não causa grande incómodo”. Sara referiu que na altura não tinha noção da gravidade da doença porque era “muito pequena”, mas os seus “pais sentiram que o mundo estava a desabar”. Vinte e dois anos depois Sara conta que os seus pais foram o seu grande apoio.

(...)

“Ainda existe tabu em relação à doença. É necessário falar mais sobre ela, expor, mostrar que existem inúmeros casos de sucesso. As pessoas ainda estão muito ligadas ao conceito de cancro de antigamente”. Enquanto enfermeira Sónia Batista estabeleceu uma maior ligação com as pessoas para transmissão de conhecimentos e experiências. A jovem enfermeira referiu que é importante a divulgação de histórias de sucesso para aumentar a autoestima dos doentes oncológicos.

(...)

O cancro em pleno século XXI ainda vai sendo um tema tabu. Normalmente o doente oncológico, familiares e amigos não chamam a doença pelo nome, costuma dizer que “tem o mal ruim”. A doença cancro não significa morte, porque a maior das lutas também é possível vencer. Sempre houve casos de sucesso, e hoje em dia ainda há mais pessoas que vencem a luta contra o cancro.


Hoje há inúmeras páginas nas redes sociais e blogues de pessoas que venceram o cancro, com intuito de ajudarem outras pessoas. Há ainda a Liga Portuguesa Contra o Cancro que além de divulgar a informação faz rastreios de prevenção e ações de sensibilização.


Fábio Belo

 

Está aqui talvez um terço da maior reportagem que fiz até hoje. Poderá ver a reportagem na integra na próxima edição da revista Fonte Objetiva. Resta-me agradecer a tod@s que colaboraram comigo nesta reportagem e que quiseram  partilhar um pouco da sua história.

 

O Reinado de Herodes Chegou ao Fim…

1Alpalhão presépio1.jpg

 O mês de dezembro aproximava-se e o frenesim do Presépio Vivo começava. Todos os anos era a mesma lengalenga. As férias de natal eram passadas na montagem do presépio. Uma semana de preparação para apenas duas horas de espetáculo. Com a aproximação do dia 25 de dezembro os desentendimentos começavam a chegar. O stress falava por si… Nem o mau tempo conseguiu derrubar a história do natal.


Foram oito edições consecutivas. Oito projetos diferentes. Mas essência do verdadeiro natal estava lá em cada projeto. A sério ou a brincar a mensagem era transmitida.


Durante oito anos o Reino de Herodes foi visitado por milhares de pessoas. Sim, milhares! O Presépio Vivo era talvez o evento que mais visitantes trazia a Alpalhão.


A personagem do temível Rei Herodes foi-me atribuída na primeira edição, mas acompanhou-me durante todas as outras edições. Diverti-me imenso com esta personagem. A cena de interação com público.


“Porque estás no lugar do castigo?” “As da bata azul… Aqui! Rápido!” “Tu!? Aqui! Rápido!” As falas que perduraram de ano para ano, e que ficam na memória. Sempre que um grupo chegava ao “palácio” havia sempre o receio de quem iria ser chamado.


O Reinado de Herodes Chegou ao Fim… Foram oito anos de trabalho, dedicação e pura diversão. Vivenciaram-se grandes aventuras, que ficam para a história. Cada participante deu o seu contributo à sua maneira.


“Naquele tempo Herodes reinava na Judeia”.


No dia 25 de dezembro de 2016 a poltrona de Herodes estará vazia…


Fábio Belo

Alpalhão - presépio1.jpg

o presépio2.jpg

1Presépio Vivo4.jpg

167036_490269903119_5094324_n.jpg

10385365_330107257183346_5710235705505090213_n.jpg

 

10550879_10204313069507447_6851841527531167240_n.jpg

 

10882213_1009830889047095_5238854160292252645_n.jpg

DSC_0025.JPG

 

 

 

II Road TT Solidário

 

No sábado, 19 de novembro, a equipa do Glamour da Palavra esteve na Herdade das Coutadas em Portalegre a acompanhar o II Road TT Solidário – CO-DRIVES com o piloto Nuno Matos .


Esta iniciativa revelou-se um sucesso. Com esta ação de solidariedade conseguiu-se angariar 2160 euros, valor que reverteu na totalidade para três instituições, APPACDM, CERCI e Bombeiros voluntários da cidade de Portalegre.


“Foi um dia fantástico, proporcionarmos às pessoas esta experiência de andarem comigo e ao mesmo tempo ajudarem as três instituições que todos os dias fazem um trabalho fantástico em prol da comunidade”, referiu-nos o piloto Nuno Matos.


Durante a tarde captámos emoções, sensações e a adrenalina dos participantes. Foi uma tarde FANTÁSTICA. São iniciativas como esta que fazem a diferença.


O Glamour da Palavra agradece ao piloto Nuno Matos e à sua equipa por nos ter recebido. OBRIGADO!


Fábio Belo
“Juntos fazemos a diferença, Juntos Criamos Futuro”

DSC_0006.JPG

DSC_0007 (1).JPG

DSC_0029 (1).JPG

 

 

Nuno Matos e Filipe Serra sagram-se campeões NACIONAIS de TT

14925523_969656939845126_6048788656799944315_n.png

 

O Glamour da Palavra deseja os parabéns aos campeões nacionais de TT.

Nuno Matos e Filipe Serra sagram-se campeões nacionais de Todo o Terreno em casa, na 30º Baja 500 Portalegre.

Fábio Belo

 

14925533_1180245165388160_8481508123535681499_n.jpg

 

 

Dia Mundial para a Erradicação da Pobreza

 O Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza comemora-se a 17 de outubro. Este dia foi celebrado oficialmente pela primeira vez em 1992, com o objetivo de alertar a população para a necessidade de defender um direito básico do ser humano.


A erradicação da pobreza e da fome é um dos oito objetivos de desenvolvimento do milénio, definidos em 2000 por 193 países membros das Nações Unidas e por várias organizações internacionais.


É neste dia que se dá voz aos pobres e que se alerta a população mundial para unir esforços para acabar com a pobreza.


"Passando da humilhação e da exclusão para a participação: acabando com a pobreza em todas as suas formas", é tema escolhido para este ano.


Os países mais pobres do mundo localizam-se no continente africano.

poverty.jpg.imgw.588.257.png

 

Versos dedicados às Tabernas de Alpalhão

Já lá vai o tempo em que Alpalhão estava repleto de tabernas. Ainda hoje há duas ou três, embora com um conceito diferente.
Para recordar algumas das tabernas de antigamente, partilho convosco versos dedicados às Tabernas de Alpalhão. Foram elaborados há 58 anos, 24 de março de 1958, pelo senhor Francisco Redondo Carrilho, do Crato, mais conhecido por Francisco da Penteada.
Francisco Redondo Carrilho dedicou ainda uns versos “à gentil Vila de Alpalhão”, mas estes só os divulgarei no dia 1 de novembro juntamente com a crónica “O Estado da Minha Aldeia”.

“Estes versos dedicados às Tabernas de Alpalhão (I)


Mote
A Vila de Alpalhão
Trinta e uma tabernas tem
Se houver dinheiro e disposição
Em todas se bebe bem

 

I
Na do António Paulo
E na do Benigno Sequeira
Bebe-se de uma maneira
É só a gente prová-lo
Dá-se com a língua um estalo
Na do João Temudo Durão
Até refresca o coração
Na do Francisco Duarte
Nunca fica de parte
A Vila de Alpalhão
II
Na do António Moraes
E na do Eduardo Saboeiro
Passa-se o dia inteiro
Assim como nas outras mais
Todas elas são iguais
Para quem de fora vem
Na do João Velez também
E na do Francisco Baginha
Para beber a boa pinguinha
Trinta e uma tabernas tem
III
Na do António Caraça Varela
E na do Joaquim da Graça Paixão
Bebe com atenção
Olha que a pinga é bela
A do Jerónimo da Costa é aquela
Que nos fica de recordação
Na saída de Alpalhão
Quando se vae para Niza
Tudo no melhor sempre desliza
Se houver dinheiro e boa disposição
IV
Na do José Sequeira Valentim
E na do António Ferreira Nabo
De beber nunca acabo
Sem os levar até ao fim
É um gosto para mim
Entrar nelas porém
Saber qual é a que tem
O vinho mais afamado
Mas pelo o que tenho notado
Em todas se bebe bem

Segundos e últimos versos das Tabernas de Alpalhão (II)


Mote
Na do João Rovisco Carrilho
Na do José Rovisco Rijo
A do Amandio Loução
Eu sempre me dirijo


I
Na do João Grave Caldeira
E na do António Basto
Até se olha o astro
Com o sumo da parreira
Na do João Cadete da mesma maneira
Encontras o mesmo brilho
Ainda a gente tem um sarilho
Enquanto não percorre
Da sede não se morre
Na do joão Rovisco Carrilho
II
Na do António Ferreira
E na do Manuel Lopes Rijo
Creias que não finjo
Em falar d´esta maneira
Com a mesma brincadeira
Todas elas atinjo
Só apenas exijo
Aquilo que possa ser
Mas gosto muito de beber
Na do José Rovisco Rijo
III
Na do Gregório Rovisco Mousinho
E na do António Marchão
Na da Maria Saboeiro, com satisfação
Gosto de beber o meu copinho
Há ali o bom vinho
Há boa disposição
Eu tenho de recordação
E não lhes posso mentir
Que sempre gostei de rir
A do Amandio loução
IV
Na do Francisco Coelho
E na do José Pedro
Podes beber sem medo
Porque o vinho é um espelho
Toma este conselho
Porque eu não me aflijo
Só bebo do vinho rijo
Para que o coração não me caia
A do Bernardo Maia
Eu sempre me dirijo”

 Autor e Editor: Francisco Redondo Carrilho

tabernas 1 (1).jpg

 

tabernas 2 (1).jpg

 Estão reservados os direito de autor